OU

Blog

Troca de óleo: Descubra o lubrificante ideal para seu carro!

Troca de óleo: Descubra o lubrificante ideal para seu carro!

Imagine a cena: você vai ao posto abastecer o carro com seu combustível de preferência e, antes do pagamento, o frentista pergunta: “E aí? Vamos fazer uma troca de óleo?”. Sem saber o que responder, você pode colocar em risco o motor do seu veículo.

As dúvidas em relação ao lubrificante são muito frequentes. “Quando trocar?”, “eu posso simplesmente completar o óleo?”, “ele não está escuro demais?” e  “por que eu preciso disso?” são algumas das questões mais comuns sobre o assunto.

Apesar das dificuldades, fazer a manutenção correta de seu veículo é essencial, inclusive para evitar despesas maiores com o passar do tempo ou para conseguir vendê-lo a um bom preço. Por isso, relacionamos aqui tudo que você precisa saber antes da troca de óleo! 

"vamos fazer troca de óleo?"

Qual é a função do lubrificante de motor?

O atrito é responsável pelo desgaste, quebra e aquecimento das peças móveis do motor. Como o próprio nome diz, o óleo lubrifica as engrenagens, diminuindo a intensidade do choque causado pelo seu movimento, o que reduz os impactos citados e aumenta a longevidade do motor.

Além disso, o lubrificante é um bom condutor térmico, representando um meio de transferência de calor. Dessa forma, seu fluxo entre as peças têm um papel importante na refrigeração dos motores automotivos, ao passo que ajuda a retirar as impurezas decorrentes da fricção dos componentes.

Por fim, o óleo favorece a vedação do motor, criando uma fina barreira interna. Assim, ele impede a entrada de agentes contaminantes externos que poderiam danificar as peças ou todo o automóvel.

Como fazer troca de óleo

Qual é a necessidade de trocar o óleo do carro?

A troca de óleo é um procedimento essencial para o bom funcionamento do motor porque este é um componente químico que tem prazo de validade. Os aditivos do lubrificante velho perdem sua eficiência e, como meros resíduos, podem entupir dutos e se acumular nas peças.

É comum, também, que o nível de óleo no motor seja reduzido na medida em que o carro é utilizado. Quando isso acontece, ele precisa ser restabelecido, ou, popularmente falando, é necessário “completar o óleo”.

Devo trocar o filtro de óleo?

A função do filtro é evitar que impurezas entrem no motor do carro, principalmente nas regiões mais frágeis. Por isso, com o tempo, ele acumula sujeira. O indicado é que, ao trocar completamente o lubrificante, ele também seja substituído para que não contamine o óleo novo.

Qual é o momento certo para fazer a troca de óleo?

Quando o óleo está velho, o carro começa a dar sinais. Ao perceber um consumo de combustível maior do que o normal, trepidações ou um aquecimento excessivo do motor, confira se ele está sendo devidamente lubrificado antes que a situação se agrave.

Entretanto, não é preciso chegar a um quadro crítico para fazer a troca de óleo. Fique sempre atento à validade do produto e tente substituí-lo antes que essa data chegue. O ideal é que você verifique o nível do lubrificante uma vez ao mês (duas, se for um automóvel antigo).

É importante que, ao medir esse nível, você não cometa erros. Algumas dicas são:

    • Não faça a medição em uma superfície irregular ou inclinada;
    • Desligue o motor pelo menos cinco minutos antes da medição;
    • Coloque a vareta sobre uma folha de papel. O fundo branco auxilia a identificar as marcas deixadas pelo lubrificante.

 

Alguns mitos sobre a troca de óleo

Como muitas pessoas têm dúvidas sobre a substituição do lubrificante, várias fazem a troca se baseando em “achismos” que, com o tempo, se popularizaram e são considerados reais até mesmo para alguns mecânicos, quando não passam de mitos. Fique esperto!

Deve-se trocar o óleo a cada 5000km rodados

Você deve SEMPRE se ater às especificações do produto utilizado em seu veículo, visto que algumas diretrizes mudam de acordo com a marca, o tipo de óleo e o carro em que está sendo usado.

 

Não há diferença entre lubrificantes para carro e moto

Por mais que sejam semelhantes, óleos destinados a motos têm algumas características diferentes dos destinados a carros, principalmente em relação à aditivação. Por isso, misturá-los ou ignorar essas especificações pode ser arriscado.

 

Um óleo de qualidade pode ser usado por muitos anos

Acreditar nessa informação pode trazer graves consequências para o seu motor! Qualquer lubrificante tem um prazo de validade, que não varia tanto entre marcas, já que está relacionada às características químicas do produto.

 

Quando o lubrificante está preto, ele precisa ser trocado

A coloração escura do óleo significa que ele está cumprindo sua função de limpeza, e, por isso, está cheio dos pequenos resíduos coletados ao passar entre as peças. A necessidade da troca está mais relacionada ao tempo de uso e às suas características de direção.

 

Como escolher o lubrificante certo para o meu veículo?

Observar as especificações do seu automóvel, presentes no manual do proprietário, é essencial para escolher um óleo que tenha viscosidade (grau SAE) e fator API compatíveis com seu motor. Entretanto, usar lubrificantes de fator API superior ao especificado não trará danos ao carro.

 

Lubrificante sintético x lubrificante mineral

Mesmo que se respeitem as qualidades citadas, restam perguntas: é melhor usar óleo sintético ou mineral? E o tal do óleo semissintético? Cada um deles tem algumas propriedades, e você deve escolher a melhor opção para seu carro e para seu bolso.

 

Óleo Mineral

Esse lubrificante é produzido por uma combinação de óleos básicos obtidos ao refinar o petróleo. Esse é o tipo mais comum no mercado, e também o mais antigo. Suas principais características são: baixo custo, satisfatório para motores antigos e baixa durabilidade.

 

Óleo Sintético

Essa opção é produzida por meio de óleos básicos sintéticos, ou seja, obtidos por meio de reações químicas controladas. Por isso, ele é mais puro e seus fatores aditivos são mais fortes. Pontos principais: maior durabilidade, maior estabilidade em altas temperaturas e custo elevado.

 

Semissintético: o caminho do meio.

Já o óleo semissintético é produzido pela combinação de elementos minerais e sintéticos, e suas características são a mescla entre as qualidades dos outros dois. Em alguns casos, pode representar uma economia no consumo de combustível e tem preço mais baixo.

 

Pronto, agora você já sabe tudo que precisa para fazer sua troca de óleo! Continue acessando nosso blog para mais informações de como manter o seu carro bem cuidado.